A Guia de implantação

Este capítulo descreve como implantar o think-cell em uma empresa maior. Se desejar instalar uma cópia individual do think-cell no seu computador, consulte Instalação e atualização.

A1
Pré-requisitos da estação de trabalho
A2
Instalação inicial
A3
Diretivas de grupo
A4
Atualizações automáticas
A5
Controlando as atualizações do think-cell manualmente
A6
Hospedando as atualizações do think-cell em seu próprio servidor
A7
Diferenças entre os canais do Office 365
A8
Notificação sobre a expiração da chave de licença
A9
Relatório de erros

A1 Pré-requisitos da estação de trabalho

O think-cell é executado no Microsoft Office 2007 SP2, 2010, 2013 ou 2016 para Windows. Os seguintes componentes devem ser instalados:

  • Microsoft Office Excel
  • Microsoft Office PowerPoint
  • Visual Basic for Applications (dos Recursos Compartilhados do Office)

A instalação do think-cell exige cerca de 180 MB de espaço livre no disco.

A2 Instalação inicial

Os arquivos de instalação do think-cell, setup_*.msi e setup_*.exe, entendem os mesmos parâmetros como comandos msiexec do Windows, embora nem todas as combinações sejam recomendadas e suportadas. Observe que existe somente um instalador e que o think-cell irá usar 32 ou 64 bits, conforme for necessário. Use o setup_*.exe se os usuários devem instalar o think-cell fazendo duplo clique no arquivo de configuração.

O think-cell pode ser instalado por máquina ou por usuário. Caso o usuário detenha direitos de administrador ou possa ser privilegiado pelo Controle de Conta de Usuário do Windows (Windows User Account Control, UAC), a opção padrão é usar o contexto por máquina. No entanto, caso um usuário tenha a permissão de instalar o software, mas não detenha direitos de administrador, nem possa ser privilegiado pelo UAC, será usado o contexto por usuário.

Com base no comportamento padrão do mecanismo do instalador do Windows, é possível que diferentes versões do think-cell sejam instaladas paralelamente se instaladas em diferentes contextos (por exemplo, diferentes versões instaladas por usuário para diferentes contas de usuário ou uma versão diferente instalada por usuário e por máquina, respectivamente). Se houver mais de uma instalação, será sempre a instalação por usuário de uma determinada conta a ser executada. Quaisquer outras instalações (incluindo instalações por máquina) são ignoradas. Isso acontece mesmo se a instalação por usuário for uma versão mais antiga do que uma instalação paralela por máquina.

Use as seguintes abordagens para instalação com script ou com prompt de comando, ou se você precisar forçar certas opções de instalação:

A2.1 Por máquina

setup_*.msi /qn TARGETDIR="<absolute path>"

  • A execução de contas precisa de permissões completas de administrador, por exemplo, ao usar um script iniciado por um software de manutenção remota ou ao iniciar o instalador a partir de uma tela de comando que foi inicializada com “Executar como administrador”. A instalação será abortada se a conta tiver privilégios insuficientes.
  • Omitir o parâmetro ALLUSERS.
  • Os outros parâmetros são opcionais.
    • O parâmetro /qn suprime a interface de usuário do instalador do Windows.
    • O diretório de destino padrão é

      %PROGRAMFILES%\think-cell

      em sistemas Windows de 32 bits e

      %PROGRAMFILES(X86)%\think-cell

      em sistemas Windows de 64 bits. Se você definir um caminho diferente com o parâmetro TARGETDIR, certifique-se de que o destino possa ser lido por todos os outros usuários na máquina.

  • Se preferir, você também pode usar o setup_*.exe como a seguir:

    setup_*.exe ALLUSERS=1

    Os outros parâmetros funcionam da mesma maneira que setup_*.msi.

A2.2 Elevação do privilégio automático pelo Controle de acesso de usuário do Windows (UAC)

setup_*.exe /qb

  • Omitir o parâmetro ALLUSERS. Você obterá uma instalação por máquina se a conta do usuário puder elevar para permissões de administração, caso contrário o instalador volta para por usuário.
  • Os outros parâmetros são opcionais.
    • Com Windows Vista e 7, /qn pode ser usado para suprimir completamente a interface de usuário do instalador. /qb exibe uma barra de progresso e /qb! remove seu botão Cancelar. Com Windows 8 e versões mais recentes, somente /qb é recomendado, pois /qn pode silenciosamente abortar a instalação ou inesperadamente instalar por usuário, mesmo se a conta puder elevar permissões. (Isso se deve a alterações do UAC no Windows 8 realizadas pela Microsoft e depende das configurações UAC específicas da conta.)
    • Para saber o diretório de destino padrão da instalação por máquina, veja acima. Para instalação por usuário, o padrão é

      %LOCALAPPDATA%\think-cell

      Recomenda-se não definir um caminho diferente com o parâmetro TARGETDIR, mas se você fizer isso, certifique-se de que ele possui permissões e propriedade adequadas para o respectivo contexto.

A2.3 Forçar por usuário

setup_*.exe /qn ALLUSERS=""

  • ALLUSERS="" força a instalação por usuário mesmo se a conta do usuário puder elevar permissões por UAC.
  • Execute o instalador para cada conta de usuário.
  • Os outros parâmetros são opcionais.
    • /qn pode ser usado para suprimir completamente a interface de usuário do instalador. /qb exibe uma barra de progresso e /qb! remove seu botão Cancelar.
    • O diretório de destino padrão é

      %LOCALAPPDATA%\think-cell

      Recomenda-se não definir um caminho diferente para o parâmetro TARGETDIR; mas, se isso for feito, certifique-se de que a pasta tenha as permissões e propriedade adequadas para a conta do usuário atual.

A2.4 Primeira inicialização

Após o think-cell ter sido instalado e o usuário iniciar o PowerPoint pela primeira vez, será exibida uma caixa de diálogo para inserir a chave de licença.

Observação: Com o parâmetro LICENSEKEY=, é possível especificar uma chave de licença durante a instalação. No entanto, consulte Diretivas de grupo para obter um método melhor de distribuição da chave de licença que irá auxiliar as futuras atualizações de chave. Consulte Faixa no Office 2007 ou mais recente, Atualizações automáticas e Relatório de erros para obter detalhes sobre opções adicionais que podem ser especificadas na linha de comando da instalação.

Também, na primeira inicialização, a faixa muda para a guia Inserir onde o grupo think-cell está localizado. Também abre uma página com tutorial. As duas ações podem ser suprimidas pelo parâmetro de instalação NOFIRSTSTART ou pela respectiva política do grupo.

A2.5 Idioma

A interface de usuário do think-cell está disponível em inglês, francês, alemão, italiano, japonês, português e espanhol.

Durante a instalação, o think-cell usa o idioma correspondente às configurações regionais do Windows. Depois da instalação, o think-cell usa o mesmo idioma nos menus e caixas de diálogo de instalação do Microsoft Office.

Todos os idiomas com suporte estão incluídos no mesmo pacote de instalação unificado. Se um idioma ainda não tiver suporte pelo think-cell, será usado o inglês. Não é possível alterar o comportamento de detecção automática de idioma.

A2.6 Arquivos instalados

Os arquivos a seguir são necessários para o think-cell e são criados no diretório de instalação:

  • tcaddin.dll (aprox. 20 MB)
  • manual_de|en|es|fr|it|ja|pt.pdf (cada < 6 MB)
  • d3dx9_43.dll (aprox. 2 MB)
  • dbghelp.dll (aprox. 2 MB)
  • generictcbasestyle (aprox. 80 KB)
  • NOTICE.txt (< 10 KB)
  • ppttc.exe (< 3 MB)
  • tcc2d.exe (< 50 MB)
  • tcdiag.exe (< 2 MB)
  • tcdotnet.dll (aprox. 16 KB)
  • tcdump.exe (aprox. 400 KB)
  • tcmail.exe (< 2 MB)
  • tcrunxl.exe (< 2 MB)
  • tcupdate.exe (< 3 MB)
  • admin-policy-templates/think-cell.adm (aprox. 10 kB)
  • admin-policy-templates/think-cell.admx (aprox. 10 kB)
  • admin-policy-templates/en-US/think-cell.adml (aprox. 10 kB)
  • ppttc/ppttc-schema.json (aprox. 2 KB)
  • ppttc/sample.html (aprox. 2 KB)
  • ppttc/sample.ppttc (aprox. 2 KB)
  • ppttc/template.pptx (< 100 KB)
  • styles/example_style_complex.xml (< 25 KB)
  • styles/generic style.xml (< 25 KB)
  • styles/no_style.xml (< 10 KB)
  • styles/traffic_light_horizontal_green.emf (aprox. 2 KB)
  • styles/traffic_light_horizontal_red.emf (aprox. 2 KB)
  • styles/traffic_light_horizontal_yellow.emf (aprox. 2 KB)
  • styles/traffic_light_vertical_green.emf (aprox. 2 KB)
  • styles/traffic_light_vertical_red.emf (aprox. 2 KB)
  • styles/traffic_light_vertical_yellow.emf (aprox. 2 KB)
  • xml-schemas/dml-chart.xsd (< 100 KB)
  • xml-schemas/dml-chartDrawing.xsd (< 10 KB)
  • xml-schemas/dml-diagram.xsd (< 100 KB)
  • xml-schemas/dml-lockedCanvas.xsd (< 10 KB)
  • xml-schemas/dml-main.xsd (< 200 KB)
  • xml-schemas/dml-picture.xsd (< 10 KB)
  • xml-schemas/shared-commonSimpleTypes.xsd (< 10 KB)
  • xml-schemas/shared-relationshipReference.xsd (< 10 KB)
  • xml-schemas/tcstyle.xsd (< 40 KB)

Em versões de 64 bits do Windows Vista, 7, 8, 8.1 e 10, os arquivos adicionais a seguir são necessários para o think-cell e são criados no diretório de instalação:

  • x64/tcaddin.dll (aprox. 35 MB)
  • x64/d3dx9_43.dll (aprox. 2 MB)
  • x64/dbghelp.dll (aprox. 2 MB)
  • x64/tcc2d.exe (< 50 MB)
  • x64/tcdiag.exe (< 3 MB)
  • x64/tcdump.exe (aprox. 500 KB)
  • x64/tcrunxl.exe (< 3 MB)

A instalação do think-cell não realiza gravações em pastas que não sejam as escolhidas como pasta de instalação.

Durante o uso dos arquivos adicionais do think-cell, eles são gravados nas seguintes pastas:

C:\Documents and Settings\[user]\
Application Data\think-cell

C:\Documents and Settings\[user]\
Local Settings\Application Data\think-cell

Windows Vista, 7, 8, 8.1 e 10

C:\Users\[user]\AppData\Roaming\think-cell

C:\Users\[user]\AppData\Local\think-cell

A2.7 Entradas de registros

Para interagir com o Microsoft PowerPoint e o Microsoft Excel, a instalação do think-cell cria algumas novas chaves nas seções a seguir do registro do Windows. Dependendo se você tiver uma instalação regular ou uma instalação para um único usuário, as chaves serão criadas em HKEY_LOCAL_MACHINE ou na seção HKEY_CURRENT_USER:

\Software\Classes\CLSID\
{3EAB3858-A0E0-4A3B-A405-F4D525E85265}

\Software\Classes\CLSID\
{D52B1FA2-1EF8-4035-9DA6-8AD0F40267A1}

\Software\Classes\thinkcell.addin

\Software\Classes\thinkcell.addin.1

\Software\Microsoft\Office\
PowerPoint\Addins\thinkcell.addin

\Software\Microsoft\Office\
Excel\Addins\thinkcell.addin

Em versões de 64 bit do Windows, são criadas as seguintes chaves adicionais:

\Software\Classes\Wow6432Node\CLSID\
{3EAB3858-A0E0-4A3B-A405-F4D525E85265}

\Software\Classes\Wow6432Node\CLSID\
{D52B1FA2-1EF8-4035-9DA6-8AD0F40267A1}

\Software\Wow6432Node\Microsoft\Office\
PowerPoint\Addins\thinkcell.addin

\Software\Wow6432Node\Microsoft\Office\
Excel\Addins\thinkcell.addin

A chave de licença e as configurações de garantia de qualidade online e atualizações automáticas são salvas na seção a seguir do registro do Windows:

Software\Classes\Software\think-cell

Se as diretivas de grupo baseadas em think-cell.adm/x (consulte Diretivas de grupo) forem usadas na sua rede, o think-cell também poderá usar:

HKEY_LOCAL_MACHINE\Software\Policies\
think-cell

HKEY_CURRENT_USER\Software\Policies\
think-cell

O think-cell não altera outras seções do registro do Windows.

A2.8 Faixa no Office 2007 ou mais recente

A barra de ferramentas do think-cell no Office 2007 e mais recente é implementada como um grupo de faixa. A posição padrão do grupo do think-cell no PowerPoint é a guia Inserir (TabInsert), após o grupo Ilustrações (GroupInsertIllustrations); a posição padrão no Excel é após o grupo Gráficos (GroupInsertChartsExcel) na guia Inserir.

Informações detalhadas sobre a personalização da faixa do Office estão disponíveis em:

http://www.think-cell.com/ribbon

As propriedades a seguir podem ser especificadas durante a instalação para personalizar o grupo do think-cell no PowerPoint:

RIBBONPPTABINSERT
Especifica os atributos XML do elemento tab que contém o grupo think-cell.
RIBBONPPGROUPINSERT
Especifica os atributos XML do elemento group do think-cell.
RIBBONPPXMLNS
Especifica os atributos de namespace de XML adicionais para o elemento customUI.

Observação: Todos esses parâmetros se aplicam ao setup.msi e ao setup.exe.

Se nenhum atributo id, idMso ou idQ for especificado usando a propriedade RIBBONPPTABINSERT, o grupo think-cell será colocado na guia Inserir. De forma semelhante, se nenhum atributo id ou idQ for especificado usando a propriedade RIBBONPPGROUPINSERT, o grupo think-cell será gerado automaticamente. Além disso, se nenhum rótulo for especificado usando a propriedade RIBBONPPGROUPINSERT, será usado o rótulo think-cell.

Adicionar a opção a seguir à linha de comando de instalação, por exemplo, colocará o grupo do think-cell em uma guia nova definida pelo usuário, posicionada após a guia Página inicial:

RIBBONPPTABINSERT="id=""TabNew"" label=
""My New Tab"" insertAfterMso=""TabHome"""

Observação: Qualquer caractere de aspa em trechos de XML deve ser de aspas duplas quando especificar as propriedades na linha de comando de instalação.

Em alternativa, adicionar as opções a seguir à linha de comando de instalação colocará o grupo do think-cell na guia integrada Página inicial, após o grupo Fonte e rotulará o grupo:

RIBBONPPTABINSERT="idMso=""TabHome"""

RIBBONPPGROUPINSERT="insertAfterMso=
""GroupFont"" label=""think-cell"""

O atributo idQ pode ser usado para especificar identificadores qualificados para o grupo do think-cell e a guia. Qualquer namespace necessário para os identificadores qualificados pode ser especificado usando a propriedade RIBBONPPXMLNS.

Por exemplo, adicionar as duas opções a seguir à linha de comando da instalação colocará o grupo do think-cell em uma guia definida pelo usuário TabUser, qualificada usando o namespace http://example.com/ribbon, e posicionada antes da guia Inserir:

RIBBONPPXMLNS="xmlns:ribbon=
""http://example.com/ribbon"""

RIBBONPPTABINSERT="idQ=""ribbon:TabUser""
label=""My User Tab""
insertBeforeMso=""TabInsert"""

Os identificadores qualificados podem ser úteis quando vários suplementos ou modelos desejam personalizar a faixa do PowerPoint. Se vários suplementos, por exemplo, especificam uma guia usando o mesmo identificador qualificado, será criada uma única guia definida pelo usuário e cada um dos suplementos pode posicionar os grupos dentro dessa guia comum definida pelo usuário. Especificar um identificador qualificado para o grupo do think-cell permite que outros suplementos ou modelos posicionem grupos em relação ao grupo. De forma semelhante, o grupo do think-cell pode usar identificadores qualificados para posicionarem a si mesmos em relação aos grupos de outros suplementos ou modelos. Por exemplo, as opções a seguir especificam um identificador qualificado para o grupo do think-cell e o posiciona em relação ao grupo definido pelo usuário:

RIBBONPPXMLNS="xmlns:ribbon=
""http://example.com/ribbon""
xmlns:special=
""http://example.com/special"""

RIBBONPPGROUPINSERT="
idQ=""ribbon:GroupThinkCell""
insertAfterQ=""special:GroupSpecial"""

É importante observar que a ordem em que os suplementos ou modelos são carregados pode influenciar a personalização da faixa no PowerPoint. Se, no exemplo acima, o suplemento que cria o grupo special:GroupSpecial for carregado após o suplemento do think-cell, o posicionamento relativo ao special:GroupSpecial não terá efeito. A ordem de carregamento não pode ser sempre controlada, e é recomendado que pares de grupos definidos pelo usuário que requerem um posicionamento relativo posicionem a si mesmos um em relação ao outro. Isso deve garantir que, qualquer que seja o grupo carregado por último, ele posicionará a si mesmo de forma correta em relação ao outro. No exemplo acima, o código XML do grupo special:GroupSpecial deve conter um atributo insertBeforeQ que faz referência ao identificador qualificado do grupo do think-cell.

O grupo do think-cell no Excel pode ser, de forma semelhante, personalizado usando as propriedades RIBBONXLTABINSERT, RIBBONXLGROUPINSERT e RIBBONXLXMLNS.

A3 Diretivas de grupo

O think-cell oferece suporte a diretivas de grupo do Windows para controlar de forma centralizada o comportamento do think-cell para um grupo de usuários ou um grupo de máquinas. Para usar as diretivas de grupo, é necessário criar um objeto de diretiva de grupo e vinculá-lo a um site, domínio ou unidade empresarial usando o Console de Gerenciamento de Diretiva de Grupo.

A explicação a seguir requer compreensão e conhecimento prático de conceitos de diretivas de grupo e de administração. Para obter informações gerais sobre os conceitos de diretivas de grupo do Windows e detalhes de uso e mecanismos de atualização, consulte o conteúdo de ajuda online do Console de Gerenciamento de Diretiva de Grupo.

As opções de configuração específicas do think-cell são descritas nos arquivos de modelo administrativo think-cell.adm e think-cell.admx, que estão localizados no diretório de instalação do think-cell no subdiretórioadmin-policy-templates. Para fazer uso das novas opções, dependendo do tipo de arquivo:

  • para think-cell.adm: No Editor de Objeto de Diretiva de Grupo, use Adicionar ou Remover Modelos... em Ação.
  • para think-cell.admx: Copie think-cell.admx e en-US\think-cell.adml de admin-policy-templates para %SYSTEMROOT%\PolicyDefinitions e %SYSTEMROOT%\PolicyDefinitions\en-US respectivamente

Um novo nó do think-cell é adicionado ao nó Modelos administrativos nos dois locais a seguir: as configurações definidas do think-cell em Configuração do computador determinam entradas de registro em

HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Policies\
think-cell

e as configurações do think-cell definidas em Configuração do usuário determinam as entradas de registro em

HKEY_CURRENT_USER\SOFTWARE\Policies\
think-cell

Se as configurações estiverem ativadas em ambos os locais, a preferência é das que estiverem em Configuração do computador.

Os itens do nó do think-cell mostram as configurações disponíveis que podem ser controladas com diretivas de grupo. Cada item tem uma descrição com os valores disponíveis para esse item.

A3.1 Usando as Políticas de Grupo para gerenciar o acesso a um servidor de terminal

Você pode usar diretivas de grupo para ativar ou desativar o think-cell em um grupo de usuários individuais. Por exemplo, se você implantar o think-cell em um servidor de terminal, é necessário certificar-se de que apenas usuários licenciados tenham acesso ao think-cell. Quando usadas da seguinte maneira, as diretivas de grupo oferecem um método conveniente para isso:

1.
Defina um objeto das diretivas de grupo que desative o think-cell completamente e vincule-o ao seu domínio. Use a configuração Product Access Control do modelo administrativo do think-cell com o valor apropriado.
2.
Adicione outro objeto de diretiva de grupo que ative o software para usuários licenciados. Isso também deve ser vinculado ao seu domínio e deve ser aplicado após desativar um. Devido aos objetos de diretiva de grupo serem aplicados em ordem reversa, a ativação do objeto deve estar mais acima na lista em Console de Gerenciamento de Diretiva de Grupo.
3.
Na seção Filtro de segurança do Console de Gerenciamento de Diretiva de Grupo restrinja o acesso à ativação do objeto de diretiva de grupo explicitamente a usuários do think-cell com licença.

A3.2 Usando as Políticas de Grupo para distribuir a chave de licença

Outro uso conveniente para as diretivas de grupo é o gerenciamento centralizado e a distribuição da chave de licença do think-cell aos usuários do think-cell na sua empresa. A chave de licença é uma das configurações do modelo administrativo do think-cell.

A4 Atualizações automáticas

O think-cell integra-se rigorosamente com o PowerPoint e o Excel para oferecer uma interface de usuário simplificada e rica em funcionalidade. Devido à rigorosa integração, não é possível garantir compatibilidade com alterações desconhecidas futuras no Microsoft Office. Por isso,

1.
Maiores atualizações de versão, como mudar de PowerPoint 2013 para 2016, ou de 2016 para uma versão futura, sempre exigirão a mais recente versão do think-cell.
2.
Para as edições de Clique para Executar do Office, incluindo o Office 365, a maioria das atualizações exigirá uma atualização do think-cell (consulte também Diferenças entre os canais do Office 365).
3.
As atualizações de segurança para edições baseadas em MSI do Microsoft Office normalmente não exigirão uma atualização do think-cell. No entanto, isso não pode ser garantido e, ocasionalmente, uma atualização de segurança para o Microsoft Office exigirá uma atualização do think-cell para compatibilidade.

O think-cell tem um suporte de atualização automática integrada. Desse modo, garantimos compatibilidade com qualquer atualização da Microsoft e fornecemos novos recursos. Quando o PowerPoint ou o Excel são iniciados, o software verifica se há uma nova versão. Se houver, o software tentará instalar a atualização.

Se disponível, o think-cell usa o Serviço de transferência inteligente de plano de fundo da Microsoft (BITS) para baixar atualizações. O BITS libera automaticamente a largura de banda assim que o usuário precisa dela, além de recuperar tranquilamente de interrupções comuns da rede em ambientes de computação móvel. Cada atualização tem um tamanho aproximado de 80 MB.

Todos os arquivos executados e instalados pela atualização automática são digitalmente assinados pela think-cell. A integridade da atualização é verificada diante de um certificado autoassinado que está incluído na versão do think-cell instalada atualmente. Isso é mais seguro que o procedimento usual de verificação e atualização diante de um certificado emitido por uma autoridade de certificação. São evitados, especificamente, dois tipos de ataque: Primeiro, autoridades de certificação podem estar sujeitas a ataques de impostores, por exemplo um terceiro obter um certificado fraudulento de uma autoridade de certificação confiável fingindo ser a think-cell. Segundo, a Atualização Automática de Certificados Raiz da Microsoft pode instalar silenciosamente certificados raiz confiáveis sob demanda. Por esses meios, a Microsoft pode introduzir novos certificados raiz que não estão sujeitos a escrutínio público, mas que são usados pelo Windows para estabelecer confiança.

As atualizações automáticas mantêm o local de instalação: tanto as instalações por máquina quanto as instalações por usuário são atualizadas no local.

A5 Controlando as atualizações do think-cell manualmente

Se desejar controlar as atualizações do think-cell manualmente, precisa desabilitar as atualizações automáticas da Microsoft para PowerPoint e Excel. A implantação das atualizações da Microsoft deve ser controlada por você. Se as atualizações automáticas do Microsoft Office estiverem ativadas, você não poderá desabilitar as atualizações do think-cell. Nesse caso, o think-cell baixará e instalará as atualizações.

Se você desativou as atualizações automáticas do Microsoft Office ou direcionou tais atualizações para o seu próprio servidor, você pode desativar as atualizações do think-cell por meio da Política de Grupo (consulte Diretivas de grupo) ou usando o parâmetro de instalação UPDATES=0 (consulte Instalação inicial). Nesse caso, o think-cell não verifica se há uma nova atualização disponível ao iniciar o PowerPoint e o Excel. Você também pode entrar em contato conosco e solicitar a desativação das atualizações automáticas por meio de uma configuração em nosso servidor. Neste caso, a verificação de atualização ainda ocorre, mas a resposta sempre indica que nenhuma atualização encontra-se disponível.

Observação: Como resultado de um erro, o think-cell pode informar o usuário que uma atualização com uma correção já está disponível e disponibilizá-la em uma página da internet (consulte Relatório de erros).

Se as atualizações automáticas do think-cell estiverem desabilitadas, você precisa verificar manualmente a compatibilidade do think-cell com todas as atualizações de PowerPoint e Excel. Para uma verificação efetiva, você precisa

1.
iniciar o PowerPoint,
2.
inserir um gráfico,
3.
aguardar a planilha de dados interna abrir e alterar um número,
4.
confirmar se a alteração ocorreu também no gráfico.

Se algum desses passos falhar, você precisa agir. A versão atual do think-cell disponível em nosso site, normalmente será compatível com a atualização da Microsoft que você deseja implantar. Portanto, repita o teste com a atual versão do think-cell e planeje uma implantação antes ou junto com a atualização da Microsoft.

Testar o think-cell a cada atualização da Microsoft não é opcional. É uma parte necessária do suporte para os usuários da think-cell em sua organização. O teste não é necessário se as atualizações automáticas do think-cell estiverem habilitadas.

Em qualquer caso, você deve implantar regularmente as atualizações do think-cell para que os usuários possam se beneficiar das melhorias mais recentes. Recomendamos uma atualização pelo menos a cada poucos meses.

A6 Hospedando as atualizações do think-cell em seu próprio servidor

As atualizações geralmente são hospedadas no servidor da Web do think-cell, mas você tem a opção de hospedar atualizações dentro de sua própria intranet. Para isso, você precisa de um servidor da web como Apache ou Microsoft Internet Information Server (IIS) que possa ser acessado por todos os usuários do think-cell na sua empresa. Os arquivos a seguir devem ser colocados no servidor da Web que hospeda suas atualizações:

  • Um arquivo de texto XML, tipicamente chamado de update.xml, que controla o processo de atualização. Consulte abaixo para obter uma descrição do formato do arquivo de atualização XML.
  • Um ou mais arquivos de atualização setup_think-cell_<version>.exe, fornecidos pelo think-cell.

Depois de colocar todos os arquivos necessários no servidor da Web, o think-cell deve ser instalado com a opção UPDATESURL da linha de comando especificando a localização do arquivo de atualização XML (consulte Instalação inicial), p. ex.

UPDATESURL="http://example.com/update.xml"

O arquivo de atualização XML deve conter uma lista de cenários, em que cada um consista de um conjunto de condições e o URL correspondente de um arquivo de instalação. O primeiro cenário cujas condições são atendidas determina o arquivo que o cliente irá baixar e instalar. Ao aplicar as condições, como uma lista de máquinas ou nomes de usuários, diferentes usuários podem receber diferentes atualizações. Por exemplo, novas versões do programa podem ser distribuídas primeiro a um pequeno grupo de usuários experimentais antes que sejam aplicadas a toda a empresa.

O exemplo abaixo mostra um arquivo XML de atualização complexo:

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8" standalone="yes"?> 
<root> 
  <CUpdateInfo id="1"> 
    <m_vecupdscen length="2"> 
      <!-- list of 2 different update scenarios --> 
      <!-- First scenario: the group of pilot 
           users. --> 
      <!-- This scenario is evaluated first, 
           and if it is executed, the 
           second scenario is skipped. --> 
      <elem> 
        <!-- Update file of this scenario: 
             The pilot group receives 
             think-cell build 17950 --> 
        <m_bstrFile>http://example.com/setup_17950.exe 
        </m_bstrFile> 
        <!-- List of 2 conditions that must 
             _all_ be met to install the 
             file --> 
        <m_vecupdcond length="2"> 
          <elem> 
            <!-- WQL query that an earlier build 
                 of think-cell is installed. The 
               query searches the local WQL 
                 database (not the network). 
                 Thus it will either return one 
                 product record, if an older 
                 product is installed, or none 
                 otherwise. --> 
            <m_bstrQuery>select * from 
              Win32_Product where 
              Name='think-cell' and 
              Version&lt;'1.17.950.0' 
            </m_bstrQuery> 
            <!-- The number of returned records 
                 is now numerically compared: 
                 -2 stands for less than, 
                 -1 for less or equal; 
                 0 for equal; 
                 1 for greater or equal; 
                 2 for greater than --> 
            <m_eupdcondop val="0"/> 
            <!-- Compare to numerical value 1 --> 
            <m_nCount val="1"/> 
          </elem> 
          <elem> 
            <!-- WQL query that the computer system is 
                 named ANNA, TOM or FRANK (the group 
                 of pilot users). Again, the query is 
                 executed locally, returning either one 
                 computer system (the one the query is 
                 running on) or none. --> 
            <m_bstrQuery>select * from 
              Win32_ComputerSystem where 
              Name='ANNA' or Name='TOM' 
              or Name='FRANK'</m_bstrQuery> 
            <!-- number of returned records equal to 1 --> 
            <m_eupdcondop val="0"/> 
            <m_nCount val="1"/> 
          </elem> 
        </m_vecupdcond> 
      </elem> 
      <elem><!-- Second scenario: all other users. --> 
        <!-- All other users receive think-cell 
             build 17883. --> 
        <m_bstrFile>http://example.com/setup_17883.exe 
        </m_bstrFile> 
        <!-- List of 1 condition that must be met to 
             install the file --> 
        <m_vecupdcond length="1"> 
          <elem> 
            <m_bstrQuery>select * from 
              Win32_Product where 
              Name='think-cell' and 
              Version&lt;'1.17.883.0'</m_bstrQuery> 
            <!-- number of returned records equal to 1 --> 
            <m_eupdcondop val="0"/> 
            <m_nCount val="1"/> 
          </elem> 
        </m_vecupdcond> 
      </elem> 
    </m_vecupdscen> 
  </CUpdateInfo> 
</root>

As condições dentro do arquivo são gravadas em Instrumentação de Gerenciamento do Windows (WQL), que fornece acesso a todos os parâmetros de sistema relevantes. Para saber mais sobre WQL, vá para:

http://www.think-cell.com/wql

Se quiser simplesmente controlar a atualização comparando o número da versão, use o seguinte trecho dentro do elemento m_vecupdscen:

<elem> 
    <m_bstrFile val="https://example.com/setup_26388.exe"/> 
    <m_bstrDescription/> 
    <m_vecupdcond length="2"> 
        <elem> 
            <version/> 
            <m_eupdcondop val="1"/> 
            <m_nCount val="26000"/> 
        </elem> 
        <elem> 
            <version/> 
            <m_eupdcondop val="-2"/> 
            <m_nCount val="26388"/> 
        </elem> 
    </m_vecupdcond> 
</elem>

As condições de atualização são atendidas quando o número da versão atual é superior ou igual (val="1") a 26000 ou inferior a (val="-2") 26388.

A7 Diferenças entre os canais do Office 365

Para o Office 365, a Microsoft oferece diversos canais de atualização, que implantam atualizações com frequência e atraso variáveis. O think-cell aceita todos os canais de atualização do Office 365. Pesquisamos as atualizações da Microsoft para todos os canais, todas as noites e, se houver uma atualização que esteja em conflito com o think-cell, imediatamente começamos a trabalhar em uma atualização do think-cell correspondente. Em seguida, assume-se que as atualizações automáticas do think-cell estejam habilitadas.

Aqui está uma visão geral da qualidade do serviço que você pode esperar da think-cell ao usar cada um dos canais:

Semestral
(Padrão no Office 365 ProPlus) e
Mensal
(Padrão nos Office 365 Business, Home e Personal): Iniciamos uma atualização automática do think-cell antes da atualização da Microsoft, para que não ocorram interrupções no think-cell.
Canal semestral (direcionado)
e
Primeiro lançamento, canal mensal (direcionado):
A atualização do think-cell está disponível para download, mas nem sempre disparamos uma atualização automática a tempo. Quando ocorrer um conflito e o relatório de erros estiver habilitado, a atualização será instalada automaticamente. Se o relatório de erros estiver desabilitado e SUPPORTEMAIL não redirecionado (consulte Solução de problemas e erros críticos), e o usuário selecionar Solicitar suporte na caixa de diálogo de erro, eles receberão uma resposta automática por e-mail, mesmo fora do horário comercial, incluindo um link para o download da atualização.
Interno
Disponibilizamos a atualização do think-cell dentro de dois dias úteis após a atualização da Microsoft. Logo, podem ocorrer interrupções de até dois dias úteis. Assim que a atualização do think-cell estiver pronta, o mecanismo de distribuição será o mesmo que o canal mensal (direcionado).

A8 Notificação sobre a expiração da chave de licença

É obrigatório ter uma chave de licença do think-cell, que pode ser usada até a data de expiração, inclusive na própria data.

O software notificará o usuário sobre a proximidade da expiração todas as vezes que o PowerPoint e o Excel forem iniciados, caso a data de expiração ocorra em menos de 14 dias. Se a chave de licença expirar no dia 15, 30 e 31 de um mês, uma notificação é exibida pela primeira vez no dia 2, 17 e 18 do mesmo mês, respectivamente.

É usada uma caixa de diálogo de chave de licença para notificar o usuário. Se a chave de licença ainda não tiver expirado, a mensagem “A chave de licença deste produto think-cell vai expirar em breve. É possível inserir uma nova chave de licença:” será exibida junto com a data de expiração. O usuário tem as seguintes opções:

  • Inserir uma nova chave de licença e clicar em OK.
  • Clicar em Cancelar para fechar a caixa de diálogo.
  • Clicar em Desinstalar para desinstalar o think-cell.

Se a data de expiração já tiver passado, a mensagem “A chave de licença deste produto think-cell expirou. Insira uma nova chave de licença:” é exibida, mas só é possível clicar em OK depois que uma chave de licença válida for inserida. Se a caixa de diálogo for fechada usando Cancelar, o think-cell continuará desativado.

Para evitar que a caixa de diálogo de expiração da licença seja exibida, certifique-se de encomendar e implementar uma nova chave de licença com uma antecedência superior a 14 dias da data de expiração. Uma chave de licença será sempre válida imediatamente, sem necessariamente esperar que a chave de licença antiga expire. Portanto, você deve implementar a chave de licença nova assim que estiver disponível.

A9 Relatório de erros

Na think-cell, estamos comprometidos com a estabilidade e solidez como fatores chave para o uso profissional de nosso software. Quando um erro surge enquanto você está usando o think-cell, o software gera automaticamente um relatório que nos ajuda a compreender o problema e corrigi-lo na próxima versão.

Uma versão atualizada do think-cell que soluciona o erro relatado pode já estar disponível no momento do relato. Nestes casos, a atualização é instalada automaticamente (consulte Atualizações automáticas para mais detalhes sobre download e instalação de atualizações). Se as atualizações do think-cell forem controladas manualmente (consulte Controlando as atualizações do think-cell manualmente), a atualização é disponibilizada para download em uma janela do navegador e pode ser instalada manualmente.

Um relatório criado automaticamente contém as seguintes informações:

  • data e hora,
  • sua ID de personalização (um número de três ou quatro dígitos (530 para a versão pública), que é o mesmo para todos os usuários dentro de uma unidade empresarial,
  • a chave de licença,
  • o build do programa (um número de cinco dígitos; pode ser encontrado na caixa de diálogo Sobre),
  • um código de erro do sistema operacional, do PowerPoint ou Excel, ou do próprio think-cell,
  • a localização no nosso código-fonte (nome do arquivo e número da linha) onde o erro ocorreu,
  • um Minidespejo, que é basicamente um rastreamento de pilha junto com as informações de ambiente, como a versão do sistema operacional e os módulos carregados. A Microsoft usa o mesmo minidespejo ao enviar relatórios de erro,
  • umidentificador global exclusivo (GUID) anônimo, que é usado para correlacionar vários relatórios de erro. O GUID é criado ao usar o think-cell pela primeira vez e é armazenado junto com as configurações do usuário. É uma string aleatória sem conexão à máquina usuário ou documento atual no momento da criação. Usando o GUID, só é possível determinar se dois relatórios de erro vêm do mesmo usuário ou de usuários diferentes.

O relatório de erro é enviado por HTTPS para o servidor do think-cell. De todas as informações transmitidas, apenas o minidespejo, essencialmente conteúdo de memória, poderia de fato conter potencialmente fragmentos de conteúdo do slide. Mas, nessa operação, o think-cell nunca armazena o conteúdo real do slide. O armazenamento de texto ou imagens é deixado totalmente para o PowerPoint. Portanto, é muito improvável que o minidespejo da memória usada pelo think-cell contenha qualquer informação sensível.

Você pode testar o mecanismo de relatório de erro digitando errorreporttest em qualquer caixa de texto do PowerPoint. Uma caixa de mensagem confirma que foi enviado um relatório de erro.

O relatório automático de erros pode ser habilitado ou desabilitado por meio da Política de Grupo (consulte Diretivas de grupo) ou ao anexar uma das seguintes opções REPORTS para a linha de comando de instalação (consulte Instalação inicial):

REPORTS=0
Desativa o relatório automático de erros.
REPORTS=1
Ativa o relatório automático de erros.

A9.1 Solução de problemas e erros críticos

Em caso de erros críticos, é perguntado ao usuário se ele ou ela gostaria de registrar uma solicitação de suporte.

Caixa de diálogo de solicitação de suporte a erros críticos do think-cell

Essas solicitações de suporte também podem ser enviadas manualmente (Solução de problemas). É possível alterar o endereço de email padrão para solicitações de suporte. Inclua o parâmetro a seguir na linha de comando de instalação (consulte Instalação inicial):

SUPPORTEMAIL="supportdesk@yourcompany.com"